Arquivo para miscelânea

Hiperrealismo

 

post by Claudia Capuzzo  
atendimento z+

É quase inacreditável, mas as fotos abaixo não são fotografias e pessoas, mas sim belíssimos trabalhos de artistas hiperrealistas, em que as pinturas se confundem com fotografias e esculturas podem se confundir com pessoas. 

Javier Arizabalo é um pintor espanhol que retrata em suas telas à óleo, a realidade de forma extremamente minuciosa e perfeita. Vale a pena conferir seu portfólio no site do artista www.javierarizabalo.com!

 

Anúncios

Brazilian Film Festival – NY

Tá acontecendo aqui em NY o Brazilian Film Festival. Tem alguns filmes bacanas. Tem um que é a história do Tom Jobim, dirigido Ana Jobim e outros. Pra quem ainda não viu aí no Brasil, vale a pena dar uma olhada no site:

http://www.brazilianfilmfestival.com/2008/ny/programacao-tribeca.asp?l

Acabei de ver dois: Os Desafinados (com Selton Mello, Rodrigo Santoro, Claudia Abreu…) dirigido por Walter Lima Jr., que é legalzinho. As musicas são boas. E ontem fui ver um – com os dois pés atrás – mas me surpreendeu: O Magnata. O roteiro é do vocalista do Charlie Brown Jr, chamado Chorão; e quem dirigiu foi o Johnny Araújo, ex-diretor da Cia de Cinema, lembram? Olha, achei muito bom o filme. Fotografia legal, trilha boa, ritmo. Incrível como a platéia ficou quieta, prestando atenção em tudo. Foi bastante aplaudido no final.

Bom, é isso. Daqui a pouco estou aí de volta.

 

Bruno Brasil – ex-redator da Z+, estagiando em NY desde Janeiro e voltando em setembro.

Reciclando Água

Roupa suja se lava em casa, sim. E agora é em cima do vaso sanitário pra poder reciclar a água.
Quem conseguir adaptar a máquina de lavar no banheiro, como fez o Sr. Sevin Coskun criador desse aparato, vai economizar água, dinheiro e espaço també
m.
 
 

1000 Journals. Isto é uma experiência e você faz parte dela.

Someguy é artista plástico e designer em São Francisco-EUA. Mas acho que ele está um pouco acima disso: ele é um cientista maluco e genial que criou uma experiência artística única e ao mesmo tempo múltipla: 1000 Journals.

 

A história começou em 2000, quando Someguy mandou produzir mil unidades dos “journals”, aqueles diários onde escrevemos nossos sentimentos e colocamos nossas lembranças. 

 

Ele, então, distribuiu esses “journals” por cafés, teatros, museus, ateliês de artistas, para amigos que iam viajar, para conhecidos de outras cidades.

 

As instruções no inicio de cada “journal” eram simples e claras:

 

1) Faça algo criativo em um de suas páginas.

2) Passe adiante para alguma pessoa interessante.

3) Quando todas as páginas estiverem preenchidas,

devolva pelo correio para o endereço tal.

 

Em 2003, o primeiro dos 1000 journals retornou à Someguy. Hoje, passados 8 anos do início do projeto, alguns exemplares voltaram, outros desapareceram e muitos ainda estão cirulando mundo afora.

 

Meu primeiro contato com o 1000 Journals foi por meio do livro que adquiri por curiosidade na Toc na Cuca. Ele reune algumas das páginas mais legais dos exemplares que retornaram a Someguy. Cada uma mais linda que a outra: verdadeiras obras de arte criativas e estimulantes feitas por artistas anônimos dos quatro cantos do planeta.

 

Depois descobri o site, que me levou ao blog, que me levou ao documentário, que mostra desde a concepção da idéia até o retorno do primeiro exemplar, passando pela busca do paradeiro dos outros 999.

 

Isto é uma experiência e você faz parte dela” é o slogan do projeto. Se você também quer participar e servir de cobaia, mesmo que seja admirando a inspiração alheia, acesse o site do 1000 Journals. Na pior das hipóteses, você também vai se sentir estimulado a fazer suas próprias experiências, sejam elas  artisticas ou criativas.

           

posted by: Fernando Pereira